A APAE de Vitória inaugurou hoje (23) a Oficina de Gameterapia, voltada para crianças e adolescentes com deficiência intelectual entre 4 e 17 anos da instituição. É resultado de uma parceria entre o Fundo para Infância e Adolescência (FIA) e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Vitória (Concav)

Participaram do café da manhã o vice-presidente da instituição, Hércules da Silva Falcão, a coordenadora geral Rosini Helena Gurgel, a assistente social e responsável pelo Centro de Assistência Social, Isabel Miranda, o diretor de Patrimônio Gilberto Neves Sudré, o representante da Federação das Apaes do Estado do Espírito Santo, Maurilio Inês (Feapaes-ES), e colaboradores.

A oficina é oferecida pelo Centro de Assistência Social, em atendimentos semanais, individuais ou em dupla.

Entre os objetivos da atividade estão promover maior desempenho funcional de crianças e adolescentes, estimular e treinar o desenvolvimento motor, cognitivo e do comportamento lúdico com a utilização de jogos de imersão em realidade virtual como recurso terapêutico.

 

Atividades físicas

O terapeuta ocupacional responsável pela oficina, Crystian Salazar, explica que a realidade virtual está presente em nosso cotidiano. ”É de grande importância a criação de iniciativas que desenvolvam intervenções que possibilitem à pessoa com deficiência ou incapacidade a participação efetiva em programas que propiciem atividades para melhoria das funções motoras e cognitivas ”, diz.

A gameterapia, proporciona o enfrentamento com situações novas, que ajudarão a superar limitações e valorizar suas potencialidades, facilitando assim a sua inserção social.

A Realidade Virtual (RV) surgiu com o desenvolvimento de simuladores de vôos para a força aérea norte-americana após a Primeira Guerra Mundial, e mais tarde foi incorporada à indústria do entretenimento.