No próximo sábado, 6 de junho, comemora-se o Dia Nacional do Teste do Pezinho, conhecido também como triagem neonatal. A data, criada pelo Governo Federal, tem como objetivo lembrar a importância do exame, que é capaz de detectar precocemente mais de 40 doenças entre patologias metabólicas, genéticas e infecciosas que poderão causar alterações no desenvolvimento neuropsicomotor do bebê. A APAE de Vitória é Serviço de Referência em Triagem Neonatal no Estado credenciado pelo Ministério da Saúde.

Ele é conhecido como Teste do Pezinho porque a retirada do sangue é feita por meio de um furinho no calcanhar do bebê, embora o sangue também possa ser coletado do braço.

Com apenas um furinho no pé do recém-nascido é possível controlar algumas doenças, segundo a geneticista e coordenadora do Centro de Diagnóstico Dr. Anselmo Frizera da Apae de Vitória, Terezinha Sarquis Cintra.

Prevenção

O exame deve ser feito entre o segundo e o quinto dia de vida do bebê. É importante porque faz o diagnóstico precoce de doenças: fenilcetonúria (problema metabólico), hipotireoidismo (disfunção da tireoide), anemia falciforme e fibrose cística (comprometimento no pulmão), deficiência de biotinidase e hiperplasia congênita da suprarrenal (doenças metabólicas).

A Dra. Terezinha explica que o sangue colhido nos municípios é enviado ao laboratório da Apae para análise. Se o exame não for realizado e as doenças não forem controladas, os bebês podem ter deficiência mental.

O teste é obrigatório por lei em todo o Brasil. Com a realização do exame, doenças causadoras de sequelas irreparáveis no desenvolvimento mental e físico da criança são detectadas e tratadas mesmo antes do aparecimento dos sintomas.